Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Telefonia lidera ranking de queixas no Procon pelo 5º ano seguido na região

Somente em São Carlos, SP, número de reclamações subiu mais de 120%.
Caso municípios não cumpram obrigações, podem receber multa da Anatel.

As reclamações contra empresas de telefonia na região lideram o ranking do Procon pelo quinto ano seguido. Somente em São Carlos (SP), o número de queixas subiu mais de 120%. A Anatel informou que fiscaliza as operadoras e que, caso elas não cumpram as obrigações, é aberto um processo administrativo que pode resultar em multa de até R$ 50 milhões.

À medida que a quantidade de celulares aumentou, cresceu também o grau de insatisfação dos consumidores. Para o Procon, as empresas estão preparadas para as vendas, mas não para atender o cliente quando ele passa por dificuldades. Essas reclamações colocam as empresas de telefonia entre as que mais recebem queixas.

Em São Carlos (SP), no ano passado, foram 350 reclamações referentes à telefonia móvel, um aumento de 124% em relação a 2013, que teve 156. A telefonia fixa também teve muitas queixas, 387, um aumento de 128% na comparação com o ano anterior, com 169. Já em Rio Claro (SP), o aumento foi de 50% entre 2013 e 2014 na área da telefonia móvel e de 70% para os telefones fixos.
Diretor do Procon falou sobre as responsabilidades das empresas (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)Diretor do Procon explicou as responsabilidades
das empresas (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)
Muitas das reclamações são sobre o serviço de atendimento. “O 0800 existe justamente para atender à solicitação do consumidor. Ele não fazendo isso, acaba surgindo o problema”, disse o diretor do Procon de São Carlos, Joner José Nery.

Nery afirmou que é preciso procurar os órgãos de defesa do consumidor, a Anatel e até a Justiça em alguns casos. “Quando o consumidor é lesado e tem um prejuízo material ou moral, ele pode acionar o judiciário e pedir a reparação dos danos. Quando um problema envolve diversas pessoas de uma cidade, pode-se ingressar com ação civil pública requerendo a reparação do dano a todos os consumidores”, explicou.
Reclamações
A analista Aline dos Santos trabalha em uma empresa de tecnologia que mudou de endereço. Para desligar tudo foi rápido, mas a instalação no novo prédio demorou. “Foi um pouco mais complicada. Ligamos no dia seguinte ao desligamento e mesmo assim a empresa demorou cerca de 40 dias para instalar, com muita insistência”, afirmou.
Mesmo sem os serviços, a conta chegou e agora a companhia tenta recuperar os clientes que perdeu. “Aguardamos o contato deles via telefone, eles não conseguem e vão atrás de outra empresa”.
Telefonia liderou ranking do Procon pelo 5º ano consecutivo (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)Telefonia liderou ranking do Procon pelo 5º ano
consecutivo (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)
O programador Marcelo Sabadini também reclamou da empresa que contratou para ter internet e telefone. Ele mudou de apartamento, mas no mesmo prédio. Em uma semana conseguiu resolver a transferência do telefone. Já para a internet foram dois meses de espera. “Um descaso. Eu, como consumidor, espero por um serviço e eles tiveram o descaso de parar de me oferecer”, falou.

O autônomo Wenderson de Oliveira cansou de esperar por melhorias no setor e abandonou o celular. “Por isso que eu não tenho, por causa dos sinais. Às vezes, você precisa usar em um lugar e a operadora não corresponde, aí fica difícil”, reclamou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário