Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

domingo, 14 de abril de 2013

Número de feridos em terremoto no Japão é de pelo menos 24

6f800a6ef024703dda690091c3ed5a99.jpg
O terremoto deixou partes de casas e edifiícios destruídas
Foto: AFP

Um terremoto de magnitude 6,3 sacudiu neste sábado (13) o oeste do Japão, perto da cidade portuária de Kobe, deixando ao menos 24 feridos. Pouco depois do tremor, a agência meteorológica japonesa indicou que foi registrada uma pequena elevação do nível do mar em alguns lugares, mas nenhuma alerta de tsunami foi lançado.

A polícia informou que ao menos 24 pessoas ficara feridas, em particular uma mulher de 74 anos, que teve os quadris quebrados na província de Hyogo, onde foi localizado o epicentro, e uma moradora da província de Fukui (litoral do Mar do Japão), de 82 anos, que quebrou uma perna.

O porta-voz do governo, Yoshuhide Suga, confirmou que o terremoto aparentemente não provocou danos maiores.

O tremor aconteceu às 20h33 de sexta-feira (hora local), perto da ilha de Awaji, no Mar Interior de Seto, sudoeste de Kobe, a uma profundidade de 10 km, indicou a agência.

O Instituto Geofísico dos Estados Unidos (USGS) avaliou em 6 a magnitude do terremoto, e indicou que ocorreu a uma profundidade de 5 km. O epicentro foi registrado próximo ao do terremoto de Kobe de 1995, que deixou mais de 6.000 mortos.

O tremor afetou o oeste da grande ilha de Honshu, e fez tremer edifícios nas cidades da região industrial de Kansai, principalmente em Kobe e Osaka. Também foi sentido na ilha de Shikoku (sul do Japão) e, em menor medida, no norte da ilha de Kyushu (sudoeste).

Os serviços ferroviários locais ficaram temporariamente parados e os trens de alta velocidade Shinkansen circularam em velocidade reduzida até que o tráfego voltou ao normal pela manhãs. O aeroporto de Kansai, na baía de Osaka, também ficou fechado temporariamente, assim como o de Itami, em Osaka.

A companhia de eletricidade Kansai Electric Power afirmou que não havia nada de anormal na central nuclear de Oi, onde estão os dois únicos reatores nucleares ainda em funcionamento no Japão.

O governo colocou em funcionamento imediato um gabinete de crise para controlar a situação, indicou a agência Kyodo.

Um tremor de magnitude 7,2 sacudiu a cidade de Kobe mais ou menos na mesma hora, em 17 de janeiro de 1995. Na tragédia, morreram 6.400 pessoas. O tremor provocou o desabamento de importantes edifícios, destruiu estradas e ferrovias e ocasionou enormes incêndios.

Em março de 2011, um potente tremor de magnitude 9 provocou um tsunami que devastou a costa nordeste do país e deixou cerca de 19.000 mortos.

O tremor também provocou um grave acidente nuclear na central de Fukushima, depois do que o Japão decidiu fechar seus 50 reatores nucleares, mas a central de Oi foi colocada de novo em funcionamento por temor de uma escassez de eletricidade.

Um terremoto de magnitude 6,0 atingiu o oeste do Japão na manhã de sábado (horário local), mas não houve relatos imediatos de danos nem alerta de tsunami, informou a agência meteorológica do país. "Embora possa ter ocorrido uma mudança leve no nível dos mares nas regiões costeiras, o terremoto não causou danos ao Japão", disse a agência em seu site.
O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) informou inicialmente que a magnitude do tremor foi de 6,3 e disse que o epicentro ocorreu 38 quilômetros a noroeste de Wakayama, na ilha de Honshu, oeste do país, a uma profundidade de 5 quilômetros.
A agência de notícias Kyodo informou que também não houve relato imediato de dano à usina nuclear na região, citando sua operadora, Shikoku Electric Power Co
.japão

Um terremoto de magnitude de 6,0 graus ocorreu na noite de sábado na parte oeste da ilha principal do Japão, Honshu.

Segundo a Agência Meteorológica do país, os tremores foram registrados na prefeitura de Hyogo. O epicentro foi localizado numa profundidade de 10 quilômetros.
Os sismos de até 4 graus foram sentidos numa das maiores cidade do país, Osaka. Não informam de vítimas ou danos.

Mais sobre este tema

Rússia consolida vertente oriental das exportações de gás

Nenhum comentário:

Postar um comentário