Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

terça-feira, 17 de junho de 2014

Venda de roupas para animais cresce 80% durante o frio em Itapetininga

Donos de pet shops investem em variedades de modelos.
Veterinária recomenda atenção na hora de colocar as roupas nos cães.


Com a queda nas temperaturas na região de Itapetininga (SP) não são apenas as pessoas que sofrem. Os cães também sentem o frio. E para aquecê-los, o mercado oferece diversas opções de roupas, camas, cobertores e acessórios. Segundo os comerciantes do setor, nesse período a venda desses produtos aumenta até 80%.
Em um pet shop da cidade, é possível encontrar a coleção de inverno que segue a mesma tendência da moda para as pessoas. As peças levam estampas de bichos e detalhes em couro ecológico. Tem também roupas de tricô. Além das roupas, a procura pelas camas, cobertores e edredons é grande. A vendedora da unidade, Lilian Feltz, diz que os estoques foram reforçados. “No frio aumenta bem a venda de camas, edredons, mantas e, acima de tudo, as roupas. Isso significa que os donos estão cada vez mais preocupados”, comenta.
Como estamos em plena época da Copa do Mundo da Fifa, a ‘moda’ canina também está em clima de celebração nas cores da bandeira brasileira. Tem moletom, vestido, gravatinha para os machos e lacinhos para as fêmeas para todos os tipos e tamanhos. Tudo verde-amarelo para o bichinho de estimação também entrar no ritmo da Copa.
A veterinária Bruna Helena Fioravante, que também é responsável por um pet shop da cidade, afirma que investe principalmente na compra de roupas confortáveis que garantam mobilidade aos animais. Ainda segundo ela, o aquecimento no setor se deve ao maior cuidado que os donos adquiriram com os bichinhos de estimação nos últimos anos. “Hoje em dia, o animal acaba fazendo parte da família. Até dorme no quarto do dono, como se fosse um filho realmente, um integrante da família”, destaca.
O mercado para os animais faturou em 2013 mais de R$ 15 bilhões. Um aumento de 7,3% em relação a 2012, que atingiu a marca de R$ 14,2 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Produtos para Animais de Estimação.
Apesar das variedades de produtos, a veterinária Juliana Saboia faz um alerta. Ela explica que os donos de animais que tem algum tipo de alergia precisam ficar atentos para não prejudicar a pele, que pode sofrer com o aquecimento das roupas. “Os cães que têm pelos curtos podem usar as roupas desde que não apresentem nenhum problema de pele. Já os cães de pelos longo também podem usar, mas não por tempo muito longo. A gente sabe que os donos gostam de colocar as roupas porque os cães ficam bonitos... os donos gostam de deixar os animais mais fashion. No entanto, é importante que os donos escovem os pelos do animal antes de colocar a roupinha para passear ou dormir. Depois quando o cão acordar de manhã ou voltar do passeio, a roupa deve ser retirada e os pelos escovados novamente”, orienta.
Roupas para animais segue tendências da moda (Foto: Reprodução / TV TEM)Roupas para animais segue tendências da moda (Foto: Reprodução / TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário