Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

sábado, 17 de maio de 2014

Débito sem autorização lidera ranking de queixas nos bancos

Cobrança sem aval do cliente segue como principal reclamação contra as instituições financeiras do país

Arte / A CidadeInfográfico mostra o ranking das principais reclamações bancárias (Arte / A Cidade)

Problema antigo, as cobranças não autorizadas bancos ainda são o principal problema enfrentado pelos clientes de bancos no Brasil.
Uma pesquisa do Banco Central (BC) mostra que os débitos não autorizados e cobranças por serviços não solicitados encabeçaram o ranking de reclamações contra instituições bancárias no mês passado. 
Por dia, foram registradas em abril 17 reclamações consideradas procedentes em relação a esses descontos indevidos.
“É sempre uma surpresa diferente. Tive problemas várias vezes com banco por conta de taxas que nem sabia sobre o que eram”, diz a dona de casa Maril Mendes Cardozo, de 45 anos.
De acordo com o advogado Fabio Luís Marcondes Mascarenhas, especialista em direito do consumidor, essa falta de informação é o principal causador de problemas.
“O cliente deve ser informado pelo banco sobre tudo. Serviços e taxas precisam estar estipuladas em contrato e serem comunicadas de forma clara”, diz.
Ainda segundo Mascarenhas, o primeiro passo, caso ocorra cobranças na conta sem autorização ou comunicação, é procurar a agência.
“O consumidor precisa ir ao banco para pedir o cancelamento e o ressarcimento dos valores cobrados de forma indevida. O banco tem o dever de explicar e resolver.”
Ainda segundo o advogado, é bom o cliente guardar comprovantes e anotar nomes de funcionários que prestaram atendimento.
Em terceiro lugar está a falta de informações 
A pesquisa do Banco Central (BC) mostra ainda que, a falta de explicações está em terceiro lugar no ranking de reclamações de clientes.
“Caso o banco não faça a devolução, o cliente tem de ir aos órgãos de defesa do consumidor, e também pode procurar um defensor público ou advogado para pedir seus direitos na justiça”, diz o advogado Fabio Luís Marcondes Mascarenhas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário