Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

terça-feira, 12 de março de 2013

Ter ou não ter um animal de estimação? Eis a questão!

Para que um animal de estimação cresça bem e saudável, é preciso que o dono tenha muita responsabilidade.
Cãezinhos, gatinhos, peixinhos e demais animais de estimação são uma gracinha e, cada vez que a gente vê um na rua, ou na casa de um amigo, dá vontade de ter em casa! Mas será que cuidar deles é assim tão fácil? A resposta é “não”. Nem fácil, nem barato. Adotado, comprado ou ganhado, não importa. Você será o anjo da guarda desse “melhor amigo” por muito tempo, inclusive durante as férias. O seu orçamento está preparado para isso?
Para que um animal de estimação cresça bem e saudável, é preciso que o dono tenha muita responsabilidade. Os cuidados básicos são uma boa alimentação, um local adequado para ele viver e as vacinas aplicadas na hora certa. E são muitas as vacinas! No caso de cachorros e gatos, os animais de estimação mais comuns, a partir de 45 até no máximo 60 dias de vida é muito importante que o filhote tome a primeira vacina, que se chama óctupla e previne contra doenças que podem deixá-lo com problemas sérios de saúde ou mesmo matá-lo. Depois dessa vacina, o animalzinho tem que ir ao veterinário todos os meses para tomar as outras doses, até ele completar quatro ou cinco meses. Mas não pense que é só isso, pois depois ele terá que tomar o reforço de cada uma delas anualmente.
Para os veterinários, as vacinas não são caras, pois representam uma medida preventiva. Porém, com preços que variam de R$ 20 a R$ 100, elas podem comprometer um orçamento já apertado. A questão é que, além das vacinas, também é preciso fazer consultas periódicas ao veterinário. O servidor público Murilo Chaiben que o diga: adotou uma gatinha e, somente semanas depois percebeu que ela esperava filhotes... sete, no total! Segundo ele, não houve arrependimento porque ele e a esposa se divertiram muito e conseguiram doar a maioria deles, mas, somente em vacinas e consultas veterinárias, ele desembolsou mais de R$ 2.000,00 em seis meses. “Quem adota gatinhos da rua assim, no escuro, precisa estar preparado para muitos imprevistos”, alertou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário