Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

G-SUITE:Veja mais detalhes aqui!!!!!

G Suite




Olá.

Agradecemos a análise do G Suite.

Aqui estão três motivos para testar esse recurso:

  1. Você pode receber e-mails personalizados e muito mais com o Gmail for business.
  2. Ele ajuda os funcionários a cumprirem suas tarefas e colaborarem de forma mais rápida e eficiente.
  3. Milhões de pequenas e grandes empresas já mudaram para o G Suite.

Conheça aqui o G Suite!!!!

O que é o G Suite?

O G Suite é um pacote de produtividade baseado na nuvem que ajuda as equipes a se comunicar, colaborar e realizar tarefas em qualquer lugar e de qualquer dispositivo. Ele é fácil de configurar, usar e gerenciar. Assim, sua empresa pode se concentrar no que realmente importa.

Milhões de empresas em todo o mundo contam com o G Suite para aproveitar recursos como e-mail profissional, armazenamento de arquivos, reuniões por vídeo, agendas on-line, edição de documentos e muito mais.

Assista ao vídeo ou saiba mais aqui.

Veja alguns destaques:

E-mail empresarial para seu domínio

Parecer profissional conta muito e isso significa se comunicar como você@suaempresa.com. Os recursos simples e eficazes do Gmail ajudam você a desenvolver sua marca e realizar ainda mais tarefas.

Acesse em qualquer local ou dispositivo

Verifique seu e-mail, compartilhe arquivos, edite documentos, realize reuniões por vídeo e muito mais, estando no trabalho, em casa ou viajando. Você continua o trabalho de onde parou em um computador, tablet ou smartphone.

Ferramentas de gerenciamento de nível empresarial

As configurações de administrador robustas oferecem controle total sobre usuários, dispositivos, segurança e muito mais. Seus dados estão sempre com você e eles permanecem com você caso queira mudar de solução.

Inicie uma avaliação gratuita

Procurando Diversão??????????

               Procurando Diversão?????????



Então encontrou o melhor local,
e a rede social mais badalada do momento!!!!

Não acredita?????
Então confira você mesmo(a)!!!!!!

Acesse agora mesmo!!!!!!

>>>>> http://www.sccliberal.com.br/Convite.aspx?cvt=496157

Boa diversão e com certeza vão gostar demais!!!!


domingo, 17 de março de 2013

Animais de estimação ajudam na recuperação de pacientes com as 'doenças da alma'

Pessoas com transtornos psicológicos têm apresentado melhora com terapia que estimula o convívio com bichos, a chamada coterapia

 Moisés Schini 

Ana e a tartaruga Zoe: amor incondicional dos dois lados (Foto: Moisés Schini)

 

A psiquiatra Fátima Victório foi uma menina bastante doente. Com seis anos de idade, em uma de suas inúmeras visitas ao médico, foi-lhe recomendado um bicho de estimação. Desde então, ela percebeu o quanto a troca afetiva com os animais influenciaria sua saúde física e mental. Levou a experiência para dentro do consultório e hoje trabalha a chamada coterapia em pacientes depressivos.
Geralmente, ela faz a coterapia com os pacientes que já possuem algum animal de estimação. “Não vendo e nem mando comprar animais. Mas se o paciente já possui um, faço com ele perceba que o bicho é a ponte afetiva para se reconectar com a vida”, explica. E é a partir dessa percepção que a conexão se estabelece.
ORIGEM DO TERMO
O termo coterapeuta, assim como a terapia assistida por animais, teve origem em meados da década de 50, com a psiquiatra Nise da Silveira. De acordo com médica, a doutora Nise sempre enfatizou a importância do contato afetivo e da expressão criativa para a recuperação das pessoas.
A psiquiatra percebeu a possibilidade de tratamento ao observar como um paciente melhorou quando lhe foi dada responsabilidade de cuidar de uma cachorrinha que fora abandonada no hospital.
“Eles só ajudam se realmente a troca for efetiva”, complementa. E, dependendo do diagnóstico, determinado animal funciona melhor que outro. Em casos como a esquizofrenia, por exemplo, o gato pode auxiliar de uma maneira diferente do cão: ele não é carinhoso como o cachorro, mas é atencioso e respeita o silêncio do dono apenas fazendo companhia.
“Independente do que se possa sentir por eles, os animais sempre nos dão afeto de forma incondicional”, lembra. E é essa troca de afetividade que ela trabalha no consultório, em particular com os pacientes depressivos. “Os relatos são gratificantes”, afirma.
A médica explica que, do ponto de vista junguiano, no nosso inconsciente também reside a nossa saúde. E é por isso que ela também recomenda, paralelamente ao tratamento medicamentoso e à coterapia, uma dieta saudável, assim como a prática de exercícios físicos. “Eles estimulam a fabricação dos chamados hormônios da felicidade”, assegura.
Ao longo do tempo, a médica vem observando que uma outra prática, além da coterapia, também tem ajudado no tratamento: a manifestação de algum tipo de religiosidade por parte do paciente ou uma filosofia espiritual. “Tudo o que trabalha a parte sensorial ajuda na recuperação. O ser humano não é só razão”, lembra.
QUEM GANHA É A PARTE EMOCIONAL
Para o médico veterinário e professor da Uniara Márcio Caruso, o aspecto emocional é o mais importante entre os benefícios de possuir um animal de estimação. “Na condição de superior, o humano vê nos demais animais um ser indefeso, que precisa de proteção. É um instinto animal que, na maioria das vezes, os homens ainda carregam dentro de si. Isso é benéfico para o desenvolvimento do caráter humano. É sempre bom lembrar que a amizade e confiança de um animal não se compra, mas se conquista”, completa. Ele afirma que o convívio dos pets com seus donos é sempre muito bom à saúde. “Em transtornos neuromusculares, as atividades com animais têm se mostrado extremamente benéficas.

TARTARUGA E CACHORRA AJUDAM DONAS NA RECUPERAÇÃO 
Kris Tavares
A vira-lata chegou na vida da dona de casa quando nem com os filhos ela conversava mais. Tebas ajudou em sua recuperação (Foto: Kris Tavares)
Depois de passar por uma grave depressão, quando até o suicídio ela tentou, a dona de casa Neide de Fátima Correia Tortorelli, de 53 anos, voltou a encontrar a alegria de viver quando a vira-lata Tebas Regina veio para sua casa, há cerca de dez anos. “Fiquei dois anos sem falar, inclusive com os meus filhos”, relata.
A cachorra chegou ainda filhote e aos poucos foi conquistando a dona. “Não tinha vontade de levantar da cama para cuidar nem dos meus filhos”, relata. Como a cadela exigia atenção, ela começou primeiro a cuidar dela. “Voltei a falar, primeiro com a cachorra e depois com os meus filhos”, lembra.
Com a massoterapeuta Ana Lúcia Ferreira, de 46 anos, não foi diferente. Depois de passar por uma separação, Ana entrou em depressão e no meio da crise ganhou Zoe, uma tartaruga vítima de maus-tratos. As duas assistem à televisão juntas e, recentemente, ganharam a companhia de Lucy Maria, uma pinscher. “Elas são meigas, sapecas e sagradas para mim”, observa Ana.
Tanto Neide quanto Ana afirmam que a chegada dos animais de estimação foi fundamental no tratamento e na recuperação da depressão. As duas ainda tomam medicamento, mas hoje encaram a doença de uma forma mais leve, graças aos animais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário