Olá Amigos(as),visitem minha página no Facebook e confira as Novidades!!!!!

sábado, 24 de janeiro de 2015

Verão exige cuidados com animais de estimação


Petrus Mereb e Thayssa Araújo com Belinha, Shaolin, Boris e Lola: cuidados especiais para enfrentar o calor (Foto:Cristovão matos)
Especialistas dão dicas de como tratar os animais domésticos em períodos de calor excessivo

Com o período prolongado de estiagem, em Goiânia, termômetros registrando, nos últimos dias, altas temperaturas, entre 35°C e 36°C, e sensação térmica próximo de 40°C, as pessoas procuram aliviar de alguma forma o calor. Há aquelas que se refrescam nas águas dos clubes da Capital, tomam um sorvete ou bebidas geladas, usam roupas leves e se beneficiam do ar condicionado. Mas, você já parou para pensar como se sentem os animais, em especial, os domesticados como cães e gatos?
O casal de namorados e tecnólogos em radiologia, Petrus Mereb, 33 anos, e Thayssa Lourrany Araújo, 23 anos, adotam alguns cuidados especiais, neste período, no trato com os quatro cachorros que vivem com eles, dois da raça Shih Tzu, e dois da raça Lhasa Apso. “Os pelos de todos eles foram tosados para amenizar um pouco do calor. A gente sente que eles ficam incomodados e inquietos. Algumas vezes, fadigados. As águas dos cães são trocadas e mantidas sempre frescas. Tem dia que a gente coloca até um cubo de gelo para resfriar a água”, conta Thayssa.
Mereb acrescenta ser muito importante conferir sempre o conforto do animal nos dias quentes. “Já observei que quando está muito calor, meus cachorros perdem um pouco do apetite. Por isso, tomamos o cuidado com a ração, pois com a temperatura ambiente muito alta ela se estraga rapidamente”, afirma.

Especialistas
O médico veterinário Ronaldo Medeiros de Azevedo, da Dog Center, diz que os cuidados com os pets, em épocas de intenso calor, devem ser os mesmos tomados em dias normais. Mas ele ressalta que cães e gatos podem desenvolver problemas de saúde se não assistidos corretamente. Conforme o especialista, os responsáveis pelos animais devem ficar atentos aos sinais que demonstram que os pets estão sofrendo com o calor. “Diferentemente dos humanos, os cães não transpiram para manter a temperatura do corpo. A língua para fora da boca é uma forma de regular a temperatura corporal”, explica.
Os sinais que nos mostram que o cachorro está com muito calor são bem fáceis de observar: como boca aberta e respiração ofegante. “Além disso, as mucosas dos olhos e do nariz ficam avermelhadas”, acrescenta Azevedo. Outra característica, de acordo com a veterinária Neusa Motta da Cunha, geralmente, os cães se deitam em locais com piso frio com as patas traseiras abertas, bebe muita água – nos dias quentes – e procuram sombra. “Em alguns casos, ele também pode ficar apático e deixar de se alimentar”, explica Neusa.
Já os gatos, ainda conforme a veterinária, não sofrem tanto com as altas temperaturas porque têm o instinto natural de buscar locais mais frescos para deitar. “Mesmo assim, os donos destes animais não devem dispensar os cuidados”, diz a especialista. Os pássaros também devem ter cuidados especiais, lembra Neusa. “As aves devem ficar em áreas abertas nos dias muito quentes. Elas também precisam de uma banheira de água para se refrescarem”, salienta.

Passeio
Para evitar queimaduras nas patas, o veterinário Azevedo recomenda passear com os cachorros pelo início da manhã e o final da tarde. Os cães estão mais perto do solo do que os seres humanos, por isso sentem com mais intensidade o calor refletido das calçadas e asfalto. “Levar o cachorro para passeios de rotina sob forte calor pode desidratá-lo. Se o dono do animal tem o costume de caminhar, por exemplo, 20 minutos, passe a andar dez minutos. Já animais com sobrepeso, devem-se evitar longos trajetos ou sair correndo com ele”, aconselha o veterinário.
Outro alerta de Ronaldo Azevedo é em relação aos animais presos sob forte calor do sol. “Deve-se evitar deixar os cães dentro de casinhas pequenas, fechados ou ainda amarrados sob o sol. É importante trocar com frequência a água do pet para que ela permaneça sempre fresca. Além disso, é preciso evitar dar alimentos pesados para eles”, ressalta.
De acordo com Neusa, apesar dos gatos possuírem características peculiares, eles também podem sofrer queimaduras de sol, ficar desidratados e se sentir estressado ou incomodado sob altas temperaturas. “O gato é um animal que sofre muito com problemas renais e urinários, então é importante incentivar que ele beba muita água, principalmente, nesta época do ano”, diz a médica veterinária.

Banho
Em relação ao excesso de banho a fim de amenizar o calor do cão, o veterinário Azevedo faz um alerta importante. “O banho é apenas para higienização do animal. Intensificar esta rotina do bicho para aliviar o calor não é recomendável”, orienta. A veterinária Neusa acrescenta que a prática é prejudicial para a pele do cão. “No calor, os poros ficam mais abertos, então eles precisam de proteção natural. Outra dica é optar pela tosa para aqueles cachorros com pelagem longa, ao invés de aumentar quantidade de limpeza. O pelo mais curto ajuda impedir proliferação de pulgas, carrapatos e outros ectoparasitas”, informa.
Garantindo o bem-estar dos animais no verão
  1. Deixe água fresca e, se possível, resfriada (não gelada), no bebedouro dos pets. Vá trocando durante o dia.
  2. Não passeie com o animal nos horários quentes do dia. Além do calor, ele pode queimar as patas no piso. Leve-o para a rua em momentos mais frescos (início e final da tarde) e ande em lugares sombreados.
  3. Não deixe os bichos presos dentro do carro, mesmo se os vidros ficarem semiabertos. O animal pode superaquecer e passar mal.
  4. Evite focinheiras fechadas para passear com o cão. Se tiver que utilizá-las, opte por modelos arejados que permitam que o cachorro fique com a boca aberta em seu interior.
  5. Se a raça de seu cão pode ser tosada, diminua bastante a pelagem dele durante o verão. Nessa hora é mais importante o bem-estar de seu animal do que a beleza.
  6. Quem mora em regiões quentes nunca deve optar por raças adaptadas ao inverno (husky siberiano, malamute do Alaska, bernese e outros). Mas se já fez essa escolha, seu cão pode necessitar de ar-condicionado ou ventilador no verão para suportar o calor, caso esteja extremamente ofegante.
  7. Observe que o local onde o animal fica tenha sempre uma parte sombreada durante o dia, independente da “casinha” dele. Este é um local extremamente quente para o pet ficar sob o sol.
  8. Atenção especial para cães que adoram a água, como os labradores. Eles podem entrar em piscinas para se refrescarem e não conseguirem sair depois, o que causa afogamento.
  9. Se o seu pet estiver extremamente ofegante num dia quente, dê um banho frio para diminuir sua temperatura. Ou molhe seu corpo para refrescá-lo.
  10. No caso das aves, deixe uma vasilha rasa com água, para que o pássaro possa tomar banho e se refrescar. A gaiola deve ficar sempre à sombra.
  11. Pequenos roedores como hamsters podem sentir muito calor no verão. Deixe a gaiola num local fresco, sombreado e arejado durante o dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário